terça-feira, 2 de dezembro de 2014

João da Baiôa

João da Baiôa,
No seu cavallinho,
E co' a sua espada,
É um passarinho.

João da Baiôa
É um valentão,
Matou dezaseis
P'ra vingar o irmão.

João da Baiôa,
Morreu, já lá vae,
Lá ficou chorando
A mãe mais o pae.

João da Baiôa foi um famoso guerrilheiro miguelista, notório por ter vingado a morte do irmão, Fancisco da Baiôa, antes dele próprio ter morrido às mãos da Guarda Nacional.

Às armas com valor!

Dar o seu a seu dono
É um dever natural,
D. Pedro rei do Brazil,
D. Miguel de Portugal.

D. Miguel subiu ao throno,
D. Pedro assim o quiz,
Viva o senhor D. Miguel,
Que é senhor do seu nariz.

Entre Pedro e D. Miguel
Ninguém metta o seu nariz,
Pois se D. Miguel é rei
D. Pedro assim o quiz.

Às armas com valor,
Já marchou toda a nação,
Viva el-rei sor D. Miguel
Mais a Santa Religião.

D. Miguel vae p'r'ó altar,
Com dois palmitos aos lados,
Em quanto se abrem masmorras
Para metter os malhados.

Viva o senhor D. Miguel
Toda a familia real,
Viva o senhor D. Miguel
Nosso rei de Portugal.

Trovas Absolutistas, Cancioneiro Popular Político (1906), de A. Thomaz Pires

segunda-feira, 1 de dezembro de 2014

Triste Realista

Eu sou realista,
Eu sou de nação,
Meu pae, minha mãe,
Corcundinhas são.

Ando triste pelos montes,
Nem por isso passo mal,
Antes triste realista,
Que alegre constitucional.

Trovas Absolutistas, Cancioneiro Popular Político (1906), de A. Thomaz Pires

A minha Lista de blogues

Seguidores

Acerca de mim

A minha foto
"(...) as leis não têm força contra os hábitos da nação; (...) só dos anos pode esperar-se o verdadeiro remédio, não se perdendo um instante em vigiar pela educação pública; porque, para mudar os costumes e os hábitos de uma nação, é necessário formar em certo modo uma nova geração, e inspirar-lhe novos princípios." - José Acúrsio das Neves